Loading...

Thats Echo Folks ‘with Pig’s Tail’

05/11/2010

Existem tantas diferenças entre o delay digital e o delay analógico que é muito difícil saber por onde começar.

Os delays digitais, famosos e muito usados, tem suas qualidades. Maior tempo de delay, bancos para memorização de todos os ajustes, diferentes timbres.

Porém, nunca ouvimos um só delay que conseguisse simular o timbre do delay analógico. Aliás, essa palavra “simular“ sempre é usada como uma qualidade, mas na verdade não é.

O delay analógico não é uma cópia perfeita do sinal original, e é por onde começamos. Os chips MN3205 saturam levemente o sinal, cortando agudos e encorpando os médios, mostrando a verdadeira característica dos delays usados nos anos 60, 70.

Outra característica importante dos delays analógico é a atuação dos knobs de tempo (time), feedback e mix. Nos delays digitais tudo soa mais artificial, mecânico, muito sensível e pouco musical. Um simples toque no knob de tempo ou de mix e o delay soa fora de ritmo, descompassado.

Já nos delays analógicos, esses knobs de tempo (time), feedback e mix são mais orgânicos e musicais. Por incrível que pareça, é muito mais fácil achar uma regulagem para determinada música.

Aqui na MG Music, criamos o That’s Echo Folks, um delay analógico com esses chips MN3205, repetindo o sinal em até 600ms.

Para que esse delay não seja “apenas“ um delay analógico – como se um delay precisasse de algo mais do que repetir o sinal de uma forma orgânica e musical -, criamos algumas funcionalidades para esse pedal.

Um switch de FEEDBACK 2, duplicando e aumentando o feedback, para que, em solos, passagens psicodélicas (o sonho de todo delay), o efeito fique com mais profundidade e crie uma camada sonora.

Quando acionado o FEEDBACK, é possível selecionar, através de chaveamento, se a resposta será do feedback dobrado ou de um feedback infinito. Totalmente mindfucking.

Além do feedback, quando acionado esse switch também é possível determinar se o controle de mix fica no knob padrão ou se o mix salta para o knob lateral, para ser controlado com o pé.

Tudo isso se torna mais musical, explorando inúmeras possibilidades e sonoridades.

Junto com essas funcionalidades do That’s Echo Folks, criamos um outro swich, chamado Pig’s Tail. Esse swich, quando acionado, leva o delay time para a ponta de um cabo óptico, que quando “pisado“ em cima joga o delay time para 0ms e quando “solto“ leva o delay time para quase 1 segundo. O maior delay time de um delay analógico existente, com a possibilidade de criar efeitos singulares, impressionantes.

Procure mais sobre o That’s Echo Folks e o Pig’s Tail. É impossível não se apaixonar por esse porquinho.

 

 

Share